JESUS CRISTO ESTA VOLTANDO!

I S. João C.3

10 - Nisto são manifestos os filhos de Deus, e os filhos do diabo: quem não pratica a JUSTIÇA não é Filho de Deus, nem o que não ama a seu semelhante.

S. Mateus C.5

10 - Bem-aventurados os que são perseguidos por causa da JUSTIÇA, porque deles é o reino dos céus.

domingo, 11 de junho de 2017

Mafia da Industria Farmaceutica


IND. FARMACÊUTICA; IND. ALIMENTÍCIA; MEDICINA; E POLITICA?

O QUE ESTAS 4 CLASSE DE PROFISSIONAIS TEM EM COMUM?
São filhos do diabo; mafiosos; bandidos; e mercenários de elite, que destroem a saúde e a vida das pessoas!

“Toda regra tem exceções”

QUANDO MEDICINA E IND. FARMACÊUTICA PREFEREM DOENÇAS!

Ao contrário do esperado, a medicina, a indústria farmacêutica e a indústria alimentícia apostam na perpetuação das doenças para manterem seus lucros crescendo!

Por Dr. Sidney Bush em Saúde - Medicina


O Dr. Sydney Bush desenvolveu um meio de reverter a arteriosclerose, que pode ser confirmado por meio de fotografias da retina (Robert Walker)

A máfia da doença: alimentícia, medicina e indústria farmacêutica

Assim que se lê “a prevenção é melhor que…”, se pensa na cura para alguma coisa. Mas nos últimos 50 anos, “cura” se tornou uma palavra suja no ramo farmacêutico. “A cura é algo muito caro” é a crença comum. Como isso corresponde à situação real?

Fortes incentivos financeiros apoiam prolongar o tratamento o quanto possível. A prevenção farmacêutica está limitada a vacinas. Elas são destinadas a preservar as pessoas de eventuais tratamentos de doenças.

Enquanto o escorbuto é uma fonte definida de 100 doenças – incluindo as doenças fatais mais comuns em jovens e adultos -, o governo do Reino Unido não tem entusiasmo em prevenir o escorbuto e não paga pela vitamina C dos pacientes. Nem é provável que a política de saúde nos EUA faça algo diferente.

As vacinas são imensamente lucrativas – e controversas. A vacina MMR combate sarampo, caxumba e rubéola. Mas o médico pioneiro Fred Klenner descobriu que seus pacientes infectados com caxumba, sarampo ou mononucleose podiam retornar às atividades normais 24 horas após tomarem doses de vitamina C, que fossem toleráveis aos intestinos.

Ele não usou a expressão “toleráveis ao intestino”. Esse termo foi bolado por outro notável médico, o falecido Robert Cathcart III, MD, que era um ávido aluno de Klenner. Como Klenner, o Dr. Cathcart foi um marco da honestidade médica. Ao considerarem a tolerância do intestino, Cathcart, assim como Klenner, descobriram que quase qualquer infecção comum podia ser curada, independente de ser um vírus fatal, veneno de cobra ou bactéria.

Quantos morreram desnecessariamente de infecções SARM (Staphylococcus aureus resistente à meticilina)? Procure no Google por “Bush, MRSA, Biant” para ver meus artigos no British Medical Journal (BMJ) sobre este assunto.

Como a indústria farmacêutica reage a isso? Isso é ignorado. A máfia farmacêutica (a aliança entre as indústrias farmacêutica, médica e alimentícia) produz uma lista sempre crescente de produtos químicos em nossa alimentação.

Margarinas são feitas com óleos artificiais, produzidos originalmente pela indústria de tintas, algumas vezes contaminados com níquel; certamente um exemplo de alimentos processados que somos aconselhados a evitar. Parece que a margarina é duvidosa para a saúde, mas algumas chegam a usar a imagem de um coração para promovê-las.

Ainda que alguns bioquímicos [que trabalham produzindo margarinas] evitem que a margarina tenha contato com suas peles, ela é exibida junto à manteiga em supermercados, o que é uma piada. Ela não precisa de refrigeração. Colocá-la ao lado da graxa de sapato seria mais adequado. Após um mês, a manteiga é consumida pelo mofo. Já os microrganismos – como o mofo – rejeitam a margarina.

Promovida para a prevenção de doenças cardíacas, a margarina contém óleos insaturados que são ditos como redutores de colesterol plasmático. Mas que os radicais livres causem doenças cardíacas (Dr. Denham Harman, Lancet, novembro de 1957), isso não preocupa os fabricantes. Harman disse que esta hipotética cura para doenças cardíacas pode ser “pior que a doença”.

Meus artigos no BMJ são ignorados. Eu me ofereci para verificar as arterias da retina daqueles que tomam estatinas para o tratamento do colesterol. “Evitar danos falando sobre os excessos” [cometidos pelas pessoas] é um objetivo digno, eu escrevi. Mas falar isso é uma ameaça para os bilhões de dólares feitos com a droga mais rentável da história.

Claramente, eu provei meu ponto. Soluções finais para tratamentos (ou seja: curas) são atualmente inaceitáveis. As curas custam muito caro [para tais indústrias: farmacêutica, médica e alimentícia].

O Dr. Bush pratica optometria no Reino Unido. Seu website é:
LifeExtensionOptometry.org

Texto Original do site: EpochTimes

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Janauba e a cura do Cancer!


Janaúba cura o câncer?


janauba - synadenium grantii

“O MEDO, É A ARMA QUE OS BANDIDOS (DIPLOMADOS) UTILIZAM CONTRA AS PESSOAS INCULTAS E HUMILDES”!

Eu confesso que já fui mais crente em relação ao ser humano!
Eu pretendia fazer uma pesquisa mais longa sobre a Janaúba! 
Mas a verdade não precisa de muitos floreios, e enrolações!

De acordo com o que fui pesquisando eu segui um velho caminho, que diz o seguinte:

“CONTRA FATOS, NÃO HA ARGUMENTOS”!

Eu faço uma pergunta a você doente de câncer, ou doente de qualquer enfermidade! Você já parou para pensar porque os médicos, laboratórios e farmacêuticos, desaconselham o uso de qualquer planta medicinal como remédio?

Sera porque o uso de plantas medicinais seria um concorrente (barato) para os negócios lucrativos dos médicos, laboratórios e farmacêuticos?

Porque sera que a anvisa (Agencia Nacional de Vigilância Sanitária) não libera, ou facilita a produção e comercialização da fosfoetanolamina, ou o uso das plantas medicinais como medicamento?

Sera que a mafia dos laboratórios, mafia da medicina colocou nos órgãos públicos pessoas que defendem os seus interesses financeiros sórdidos e diabólicos!

Porque sera que a ORGANIZAÇÃO dos médicos (CFM) entrou com pedido junto ao STF, para impedir a produção, comercialização, ou distribuição da fosfoetanolamina? Sera porque o medicamento contraria os interesses bilionários dos laboratórios?

Sera que os órgãos públicos quando não conseguem esconder a verdade;
procuram dificultar o máximo possível a aprovação de alguma lei que beneficie o povo, e vão empurrando com a barriga, fazendo com que a burrocracia seja o mais longa possível?

Criador da fosfoetanolamina contesta grupo de trabalho do governo: "suborno de dados é má-fé" https://www.youtube.com/watch?v=Q1UwvHRgzA0



Fosfoetanolamina pesquisadores denunciam no senado fosfo falsificada pelo MCTI https://www.youtube.com/watch?v=TLEnz07OVxA



Celso Russomano Quebra-pau Com Anvisa – Fosfoetanolamina.

Fosfoetanolamina pode estar disponível ainda em 2016, de acordo com pesquisadores. https://www.youtube.com/watch?v=Q9o2BlyWyvQ


Pesquisador Renato Meneguelo descreve testes feitos com a droga fosfoetanolamina. https://www.youtube.com/watch?v=iHPuBwyDxVU


A fosfoetanolamina age em células tumorais e não em normais, destaca Durvanei Augusto Maria. https://www.youtube.com/watch?v=NL6-eFypluI


Pacientes com câncer relatam experiência com o uso da fosfoetanolamina.

Porque a anvisa não quer a comercialização da fosfoetanolamina?
Apesar da Fosfoetanolamina ser comercializada nos estados unidos, e na Europa com o nome de Calcium-EAP!

Sera que a anvisa defende os interesses da população brasileira?
Ou defende os interesses dos laboratórios, dos médicos, e dos farmacêuticos?

Ha milhares de anos, o ser humano se utiliza de plantas para se alimentar, e para curar as enfermidades! Hoje em dia existe uma certa resistência de algumas classes profissionais (Laboratórios, Médicos, Farmacêuticos) que não recomendam as plantas como medicamento eficaz contra as doenças do ser humano!

Seria pedir muito que os laboratórios (que gastam muito dinheiro para produzir remédios)! E os médicos e farmacêuticos (que gastam muito dinheiro par se formar), recomendem medicamentos fáceis de se adquirir, e que não precisam de consulta e receita medica.

Sera que eles irão contrariar seus próprios interesses pessoais e financeiros em beneficio da saúde, e do bem estar do seu semelhante?

Você já ouviu falar que Hipócrates (Pai da medicina ) curou algum doente com: Omeprazol, Gardenal, ass, diasec? Eu vi uma frase que dizem ser de Hipócrates, e dizia o seguinte: "Que teu alimento seja teu remédio, que teu remédio seja teu alimento!




Vejam só a ironia da vida!

Alguns dizem que as plantas são um veneno!
O soro anti-ofídico é um remédio extraído do veneno da cobra!
As vacinas são feitas com vírus causadores das doenças!
Ex: Dengue. Sarampo. Varíola etc.

Vamos ao que realmente interessa!
janauba - synadenium grantii


Publicado em 14 de out de 2014

PARA QUALQUER TIPO DE CÂNCER
Receita: 36 gotas de Synadenium em 01 litro de água mineral.
04 vezes ao dia após as refeições.
Medida: 01 copio de café ( copinho de plástico descartável.

Diabetes:
Receita: 18 gotas de Synadenium em 01 litro de água mineral.
04 vezes ao dia após as refeições.
Medida: 01 copio de café ( copinho de plástico descartável.

Artrite ; Artrose:
Receita: 18 gotas de Synadenium em 1 /2 litro de água mineral.
04 vezes ao dia após as refeições.
Medida: 01 copio de café (copinho de plástico descartável).

Má circulação, Pressão alta, Gastrite, Ulcera, Enxaqueca, Bronquite, Tendinite, Sinusite, Hepatite:
Receita: 09 gotas de Synadenium em 1/2 litro de água mineral.
02 vezes ao dia após as refeições.
Medida: 01 copio de café (copinho de plástico descartável).

Modo de preparo:
Pegue um galho da planta, faça um corte com uma faca lisa no caule, deixe escorrer o leite (seiva) na ponta da faca em 1 copo de agua mineral sem gás, após coloque o copo com água dentro de uma leiteira e acrescente o a quantidade de água mineral da receita acima, e misture, com um funil coloque na garrafa, coloque na geladeira e tome na medida indicada acima.
Apresentado por Luis Antonio Nogueira
celular: 11-7724-3613
e-mail:luis@ramoscomp.com.br

LEMBRANDO QUE:


1º - As informações disponibilizadas neste blog sao utilizadas para fins informativos, não podendo jamais, serem utilizadas em substituição ao diagnóstico e acompanhamento médico. O autor deste blog se exime de qualquer responsabilidade legal advinda da má utilização das informações aqui publicadas

2º - O meu intuito aqui é divulgar o uso popular (milenar) das plantas medicinais.

3º - Continue com o tratamento convencional, ate que os exames comprovem que você esteja curado de sua enfermidade!

4º - Não estou receitando a janaúba para nenhuma pessoa.
Os riscos e os benefícios desta planta são exclusivamente seus!

5º - Cada pessoa é responsável pelo que ingere; seja alimento, ou planta
medicinal.

6º - No meu caso, eu estou usando esta planta para combater a diabetes, e a pressão alta! Ja me sinto bem melhor!


BOA SORTE!

quarta-feira, 4 de novembro de 2015

A máfia da medicina


A MÁFIA DA MEDICINA e a Máfia dos Laboratórios!

“A Máfia Médica” é o título do livro que custou à doutora Ghislaine Lanctot a sua expulsão do colégio de médicos e a retirada da sua licença para exercer medicina.


Trata-se provavelmente da denuncia, publicada, mais completa, integral, explícita e clara do papel que forma, a nível mundial, o complot formado pelo Sistema Sanitário e pela Industria Farmacêutica.

O livro expõe, por um lado, a errônea concepção da saúde e da enfermidade, que tem a sociedade ocidental moderna, fomentada por esta máfia médica que monopolizou a saúde pública criando o mais lucrativo dos negócios.

Para além de falar sobre a verdadeira natureza das enfermidades, explica como as grandes empresas farmacêuticas controlam não só a investigação, mas também a docência médica,

e como se criou um Sistema Sanitário baseado na enfermidade em vez da saúde, que cronifica enfermidades e mantém os cidadãos ignorantes e dependentes dele.

O livro é pura artilharia pesada contra todos os medos e mentiras que destroem a nossa saúde e a nossa capacidade de auto-regulação natural, tornando-nos manipuláveis e completamente dependentes do sistema.

A seguir, uma bela entrevista à autora, realizada por Laura
Jimeno Muñoz para Discovery Salud:

MEDICINA SIGNIFICA NEGOCIO


A autora de A Máfia Médica acabou os seus estudos de Medicina em 1967, numa época em que – como ela mesma confessa – estava convencida de que a Medicina era extraordinária e, de que antes do final do séc. XX se teria o necessário para curar qualquer enfermidade. Só que essa primeira ilusão foi-se apagando até extinguir-se.

Porquê essa decepção?

GL: Porque comecei a ver muitas coisas que me fizeram refletir. Por exemplo, que nem todas as pessoas respondiam aos maravilhosos tratamentos da medicina oficial.

Para além disso, naquela época entrei em contacto com várias terapias suaves – ou seja, praticantes de terapias não agressivas (em francês Médecine Douce) – que não tiveram problema algum em me abrir as suas consultas e em deixar-me ver o que faziam.

Rapidamente concluí que as medicinas não agressivas são mais eficazes, mais baratas e, ainda por cima, têm menores efeitos secundários.

E suponho que começou a perguntar-se por que é que na Faculdade ninguém lhe havia falado dessas terapias alternativas não agressivas?

GL: Assim foi. Logo a minha mente foi mais além e comecei a questionar-me como era possível que se chamassem charlatães a pessoas a quem eu própria tinha visto curar e porque eram perseguidas como se fossem bruxos ou delinquentes.

Por outro lado, como médico tinha participado em muitos congressos
internacionais - em alguns como ponente – e dei-me conta de que todas as apresentações e depoimentos que aparecem em tais eventos estão controladas e requerem, obrigatoriamente, ser primeiro aceites pelo comité científico organizador do congresso.

E quem designa esse comité científico?

GL: Pois geralmente quem financia o evento: a indústria farmacêutica. Sim, hoje são as multinacionais quem decide, até o que se ensina aos futuros médicos nas faculdades e o que se publica e expõe nos congressos de medicina! O controlo é absoluto.

E isso foi clarificador para si...?

GL: E muito! Dar-me conta do controlo e da manipulação a que estão sujeitos os médicos – e os futuros médicos, ou sejam os estudantes – fez-me entender claramente que a Medicina é, antes de tudo, um negócio.

A Medicina está hoje controlada pelos seguros - públicos ou privados, o que dá na mesma, porque enquanto alguém tem um seguro perde o controlo sobre o tipo de medicina a que acede. Já não pode escolher.

E há mais, os seguros determinam inclusivamente o preço de cada tratamento e as terapias que se vão praticar. Esse olharmos para trás das companhias de seguros ou da segurança social... encontramos o mesmo.

O poder económico?

GL: Exacto, é o dinheiro quem controla totalmente a Medicina. E a única coisa que de verdade interessa a quem maneja este negócio é ganhar dinheiro. E como ganhar mais? Claro, tornando as pessoas doentes...

porque as pessoas sãs, não geram ingressos. A estratégia consiste em suma, em ter enfermos crónicos que tenham que consumir o tipo de produtos paliativos, ou seja, para tratar só sintomas, medicamentos para aliviar a dor, baixar a febre, diminuir a inflamação.

Mas, nunca fármacos que possam resolver uma doença. Isso não é rentável, não interessa. A medicina actual está concebida para que a gente permaneça enferma o maior tempo possível e compre fármacos; se possível, toda a vida.

UM SISTEMA DE ENFERMIDADE

Deduzo que essa é a razão pela qual no seu livro se refere ao sistema sanitário como “sistema de enfermidade”

GL: Efectivamente. O chamado sistema sanitário é na realidade um sistema de enfermidade. Pratica-se uma medicina da enfermidade e não da saúde. Uma medicina que só reconhece a existência do corpo físico e não tem em conta nem o espírito, nem a mente, nem as emoções.

E que para além disso, trata apenas o sintoma e não a causa do problema. Trata-se de um sistema que mantém o paciente na ignorância e na dependência, e a quem se estimula para que consuma fármacos de todo o tipo.

Supõe-se que o sistema sanitário está ao serviço das pessoas!

GL: Está ao serviço de quem dele tira proveito: a indústria farmacêutica. De uma forma oficial – puramente ilusória – o sistema está ao serviço do paciente, mas oficiosamente, na realidade, o sistema está às ordens da indústria que é quem move os fios e mantém o sistema de enfermidade em seu próprio benefício.

Em suma, trata-se de uma autêntica máfia médica, de um sistema que cria enfermidades e mata por dinheiro e por poder.

E que papel desempenha o médico nessa máfia?

GL: O médico é – muitas vezes de uma forma inconsciente, é verdade – a correia de transmissão da grande indústria. Durante os 5 a 10 anos que passa na Faculdade de Medicina o sistema encarrega-se de lhe inculcar uns determinados conhecimentos e de lhe fechar os olhos para outras possibilidades.

Posteriormente, nos hospitais e congressos médicos, é-lhe reforçada a ideia de que a função do médico é curar e salvar vidas, de que a enfermidade e a morte são fracassos que deve evitar a todo o custo e de que o ensinamento recebido é o único válido.

E mais, ensina-se-lhes que o médico não deve implicar-se emocionalmente e que é um «deus» da saúde. Daí resulta que exista caça às bruxas entre os próprios profissionais da medicina.

A medicina oficial, a científica, não pode permitir que existam outras formas
de curar que não sejam servis ao sistema. O sistema, de facto, pretende fazer crer que a única medicina válida é a chamada medicina científica, a que você aprendeu e que renegou.

Precisamente no mesmo número da revista em que vai aparecer a sua entrevista, publicamos um artigo a respeito.

GL: A medicina científica está enormemente limitada porque se baseia na física materialista de Newton: tal efeito obedece a tal causa. E, assim, tal sintoma precede a tal enfermidade e requer tal tratamento.

Trata-se de uma medicina que ademais só reconhece o que se vê, se toca, ou se mede e nega toda a conexão entre as emoções, o pensamento, a consciência e o estado de saúde do físico.

E quando a importunamos com algum problema desse tipo cola a etiqueta de enfermidade psicossomática ao paciente e envia-o para casa, receitando-lhe comprimidos para os nervos.

É dizer, que no que lhe toca, a medicina convencional só se ocupa em fazer desaparecer os sintomas.

GL: Salvo no que se refere a cirurgia, os antibióticos e algumas poucas coisas mais, como os modernos meios de diagnóstico, sim. Dá a impressão de curar mas não cura. Simplesmente elimina a manifestação do problema no corpo físico mas este, cedo ou tarde, ressurge.

Pensa que, dão melhor resultado as chamadas medicinas suaves ou não agressivas

GL: São uma melhor opção porque tratam o paciente de uma forma holística e ajudam-no a curar... mas tão pouco curam. Olhe, qualquer das chamadas medicinas alternativas constituem uma boa ajuda mas apenas isso: complementos!

Porque o verdadeiro médico é o próprio. Quando está consciente da sua
soberania sobre a saúde, deixa de necessitar de terapeutas. O enfermo é o único que pode curar-se.

Nada pode fazê-lo em seu lugar. A autocura é a única medicina que cura. A questão é que o sistema trabalha para que esqueçamos a nossa condição de seres soberanos e nos convertamos em seres submissos e dependentes. Nas nossas mãos está pois, romper essa escravidão.

E, na sua opinião, por que é que as autoridades políticas, médicas, mediáticas e económicas o permitem? Porque os governos não acabam com este sistema de enfermidade, que por outro lado, é caríssimo?

GL: Acerca disso, tenho três hipóteses. A primeira é que talvez não saibam que tudo isto se passa... mas é difícil de aceitar porque a informação está ao seu alcance há muitos anos e nos últimos vinte anos foram já várias as publicações que denunciaram a corrupção do sistema e a conspiração existente.

A segunda hipótese é que não podem acabar com ele... mas também resulta como difícil de acreditar porque os governos têm poder.

E a terceira, suponho, é que não querem acabar com o sistema.

GL: Pois o certo é que, eliminadas as outras duas hipóteses, essa parece a mais plausível. E se um Governo se nega a acabar com um sistema que arruína e mata os seus cidadãos é porque faz parte dele, porque faz parte da máfia.

A MAFIA MÉDICA



Quem, na sua opinião, integra a “máfia médica”?

GL: Em diferentes escalas e com distintas implicações, com certeza, a industria farmacêutica, as autoridades políticas, os grandes laboratórios, os hospitais, as companhias seguradoras, as Agencias dos Medicamentos, as Ordens dos Médicos, os próprios médicos, a Organização Mundial de Saúde (OMS)

– o Ministério da Saúde da ONU 
- e, com certeza, o governo mundial na sombra do dinheiro.

Entendemos que para si, a Organização Mundial da Saúde é “a máfia das máfias”?

GL: Assim é. Essa organização está completamente controlada pelo dinheiro. A OMS é a organização que estabelece, em nome da saúde, a “política de enfermidade” em todos os países.

Todo o mundo tem que obedecer cegamente às directrizes da OMS. Não há escapatória. De facto, desde 1977, com a Declaração de Alma Ata, nada pode escapar ao seu controle.

Em que consiste essa declaração?

GL: Trata-se de uma declaração que dá à OMS os meios para estabelecer os critérios e normas internacionais da prática médica. Assim, foi retirada aos países a sua soberania em matéria de saúde para transferi-la para um governo mundial não eleito, cujo “ministério da saúde” é a OMS.

Desde então, “direito à saúde” significa “direito à medicação”. Foi assim que, impuseram as vacinas e os medicamentos, a toda a população do globo.

Uma ação que não se questiona

GL: Claro, porque, “quem vai ousar duvidar das boas intenções da Organização Mundial de Saúde?” Com certeza, há que perguntar quem controla, por sua vez essa organização através da ONU?

O poder económico!

Crê que, nem sequer as organizações humanitárias escapam a esse controlo?
GL: Com certeza que não. As organizações humanitárias também dependem da ONU, ou seja, do dinheiro das subvenções. E portanto, as suas actividades estão igualmente controladas.

Organizações como Médicos Sem Fronteiras acreditam que servem altruisticamente as pessoas, mas na realidade servem ao dinheiro.

Uma máfia sumamente poderosa!
GL: Omnipotente, diria eu. Eliminou toda a competência. Hoje em dia, “orientam-se “ os investigadores.

Os dissidentes são encarcerados, manietados e reduzidos ao silêncio. Aos médicos “alternativos” intitulam-nos de loucos, retiram-lhes a licença, ou encarceram-nos, também. Os produtos alternativos rentáveis caíram igualmente nas mãos das multinacionais graças às normativas da OMS e às patentes da Organização Mundial do Comércio.

As autoridades e os seus meios de comunicação social ocupam-se a alimentarem, entre a população, o medo da enfermidade, da velhice e da morte. De facto, a obsessão por viver mais ou, simplesmente, por sobreviver, fez prosperar inclusivamente o tráfico internacional de órgãos, sangue e embriões humanos.

E em muitas clínicas de fertilização, na realidade “fabricam-se” uma
multitude de embriões, que logo se armazenam para serem utilizados em cosmética, em tratamentos rejuvenescedores, etc. Isso sem contar com o que se irradiam os alimentos, se modificam os genes, a água está contaminada, o ar envenenado.

E mais, as crianças recebem, absurdamente, até 35 vacinas antes de
irem para a escola. E assim, cada membro da família tem já o seu comprimido: o pai, o Viagra; a mãe, o Prozac; o filho, o Ritalin. 

E tudo isto para quê?

Porque o resultado é conhecido: os custos sanitários sobem e sobem, mas as pessoas continuam adoecendo e morrendo da mesma forma.

AS AUTORIDADES MENTEM!


O que explica do sistema sanitário imperante é uma realidade que cada vez mais gente começa a conhecer, mas surpreenderam-nos alguns das suas afirmações a respeito do que define como as três grandes mentiras das autoridades políticas e sanitárias.

GL: Pois reitero-o: as autoridades mentem quando dizem que as vacinas nos protegem, mentem quando dizem que a AIDS é contagiosa e mentem quando dizem que o câncer é um mistério.

Bem, falaremos disso ainda que, já lhe adianto, na revista não compartilhamos alguns dos seus pontos de vista. Se lhe parece bem, podemos começar por falar das vacinas.

Na nossa opinião, a sua afirmação de que nenhuma vacina é útil, não se sustém. Uma coisa com que concordamos, é que algumas são ineficazes e outras inúteis; às vezes, até perigosas.

GL: Pois eu mantenho todas as minhas afirmações. A única imunidade autêntica é a natural e essa desenvolve-a 90% da população, antes dos 15 anos. E mais, as vacinas artificiais curto-circuitam por completo o desenvolvimento das primeiras defesas do organismo.

E que as vacinas têm riscos, é algo muito evidente; apesar de se ocultar. Por exemplo, uma vacina pode provocar a mesma enfermidade para que se destina.

Porque não se adverte? Também se oculta que a pessoa vacinada pode transmitir a enfermidade ainda que não esteja enferma. Assim mesmo, não se diz que a vacina pode sensibilizar a pessoa perante a enfermidade.

Ainda que o mais grave seja que se oculte a inutilidade, constatada, de
certas vacinas.

A quais se refere?

GL: Às das enfermidades como a tuberculose e o tétano, vacinas que não conferem nenhuma imunidade; a rubéola, de que 90% das mulheres estão protegidas de modo natural; a difteria, que durante as maiores epidemias só alcançava a 7% das crianças apesar disso, hoje, vacina todos; a gripe,
a hepatite B, cujos vírus se fazem rapidamente resistentes aos anti-corpos das vacinas.

E até que ponto podem ser também perigosas?

GL: As inumeráveis complicações que causam as vacinas – desde transtornos menores até à morte – estão suficientemente documentadas; por exemplo, a morte súbita do lactante. Por isso há já numerosos protestos de especialistas na matéria e são inúmeras as demandas judiciais que foram interpostas contra os
fabricantes.

Por outra parte, quando se examinam as consequências dos programas de vacinações massivas extraem-se conclusões esclarecedoras.

Agradeceria que mencionasse algumas

GL: Olhe, em primeiro lugar as vacinas são caras e constituem para o Estado um gasto de mil milhões de euros ao ano. Portanto, o único benefício evidente e seguro das vacinas... é o que obtém a industria.

Além disso, a vacinação estimula o sistema imunitário, mas repetida a vacinação o sistema esgota-se. Portanto, a vacina repetida pode fazer, por exemplo, estalar a “sida silenciosa” e garantir um “mercado da
enfermidade”, perpetuamente florescente.

Mais dados: a vacinação incita à dependência médica e reforça a crença de que o nosso sistema imune é ineficaz. Ainda o mais horrível é que a vacinação facilita os genocídios selectivos pois permite liquidar pessoas de certa raça, de certo grupo, de certa região...

Serve como experimentação para testar novos produtos sobre um amplo mostruário da população e uma arma biológica potentíssima ao serviço da guerra biológica porque permite interferir no património genético hereditário de quem se queira.

Bom, é evidente que há muitas coisas das quais se pode fazer um bom ou mau uso mas isso depende da vontade e intenção de quem as utiliza. Bem, falemos se lhe parece, da segunda grande mentira das autoridades: você afirma que a Sida não é contagiosa.

Perdoe-me, mas assim como o resto das suas afirmações nos pareceram pensadas e razoáveis, neste âmbito não temos visto que argumente essa
afirmação.

GL: Eu afirmo que a teoria de que o único causador da sida é o VIH o Vírus da Imunodeficiência Adquirida é falsa. Essa é a grande mentira. A verdade é que ter o VIH não implica necessariamente desenvolver sida.

Porque a sida não é senão uma etiqueta que se “coloca” num estado de saúde a que dão lugar numerosas patologias quando o sistema imunitário está em baixo.

E nego que ter sida equivalha a morte segura. Mas, claro, essa verdade não interessa. As autoridades impõem-nos à força a ideia de que a Sida é una enfermidade causada por um só vírus apesar de o próprio Luc Montagnier, do Instituto Pasteur, co-descobridor oficial do VIH enm1983, ter reconhecido já em 1990, que o VIH não é suficiente por si só para causar a sida.

Outra evidência é o facto de que há numerosos casos de sida, sem vírus VIH e numerosos casos de vírus VIH, sem sida (seropositivos). Por outro lado, ainda não se conseguiu demonstrar que o vírus VIH cause a sida, e a demonstração é uma regra científica elementar para estabelecer uma relação causa-efeito, entre dois factores.

O que se sabe, sem dúvida, é que o VIH é um retrovirus inofensivo que só se activa quando o sistema imunitário está debilitado.

Você afirma no seu livro que o VIH foi criado artificialmente num laboratório.

GL: Sim. Investigações de eminentes médicos indicam que o VIH foi criado enquanto se faziam ensaios de vacinação contra a hepatite B em grupos de homossexuais. E tudo indica que o continente africano foi contaminado do mesmo modo durante campanhas de vacinação contra a varíola.

Claro que outros investigadores vão mais longe ainda e afirmam que o vírus da sida foi cultivado como arma biológica e depois deliberadamente propagado mediante a vacinação de grupos de população que se queriam exterminar.

Também observamos que ataca duramente a utilização do AZT para tratar a sida.

GL: Já no Congresso sobre SIDA celebrado em Copenhague em Maio de 1992 os superviventes da sida afirmaram que a solução então proposta pela medicina científica para combater o VIH, o AZT, era absolutamente ineficaz. Hoje isso está fora de qualquer dúvida.

Pois bem, eu afirmo que se pode sobreviver à sida... mas não ao AZT. Este medicamento é mais mortal que a sida. O simples senso comum permite entender que não é com fármacos imuno-depressores que se reforça o sistema imunitário.

Olhe, a sida converteu-se noutro grande negócio. Por isso, promociona-se amplamente combatê-lo, porque ele dá muito dinheiro à industria farmacêutica. É tão simples quanto isto.

Falemos da “terceira grande mentira” das autoridades: a de que o câncer é um mistério

GL: O chamado câncer, ou seja, a massiva proliferação anómala de células, é algo tão habitual que todos o padecemos varias vezes ao longo da nossa vida. Só que quando isso sucede, o sistema imunitário actua e destrói as células cancerígenas.

O problema surge quando o nosso sistema imunitário está débil e não
pode eliminá-las. Então o conjunto de células cancerosas acaba crescendo e formando um tumor.

E é nesse momento quando se entra na engrenagem do “sistema de enfermidade”
GL: Assim é. Porque quando se descobre um tumor se oferece de imediato ao paciente, com o pretexto de ajudá-lo, que escolha entre estas três possibilidades ou “formas de tortura”: amputá-lo (cirurgia), queimá-lo (radioterapia) ou envenena-lo (quimioterapia).

Escondendo-se-lhe, que existem remédios alternativos eficazes, inócuos e baratos. E depois de quatro décadas de “luta intensiva”contra o câncer, qual é a
situação nos próprios países industrializados? Que a taxa de mortalidade, por câncer, aumentou.

Esse simples facto põe em evidência o fracasso da sua prevenção e do seu tratamento. Desperdiçaram-se milhares de milhões de euros e tanto o número de doentes, como o de mortos, contínua crescendo.

Hoje sabemos a quem beneficia esta situação. Como sabemos quem a criou e quem a sustem. No caso da guerra, todos sabemos que esta beneficia sobretudo aos fabricantes e traficantes de armas.

Bom, pois em medicina quem se beneficia são os fabricantes e traficantes do “armamento contra o câncer” ou seja, quem está detrás da quimioterapia, da radioterapia, da cirurgia e de toda a industria hospitalar.

A MÁFIA, UMA NECESSIDADE EVOLUTIVA

No entanto, apesar de tudo, mantém que a máfia médica é uma necessidade evolutiva da humanidade.

Que quer dizer com essa afirmação?
GL: Verá, pense num peixe comodamente instalado no seu aquário. Enquanto tem agua e comida, tudo está bem mas se lhe começa a faltar o alimento e o nível da agua desce perigosamente o peixe decidirá saltar para fora do aquário buscando uma forma de se salvar.

Bom, pois eu entendo que a máfia médica nos pode empurrar a dar esse salto individualmente. Isso, se houver muita gente que prefira morrer a saltar.

Mas para dar esse salto é preciso um nível de consciência determinado.
GL: Sim. E eu creio que se está elevando muito e muito rapidamente. A informação que antes se ocultava agora é pública: que a medicina mata pessoas, que os medicamentos nos envenenam, etc.

Ademais, o médico alemão Ryke Geerd Hamer demonstrou que todas as enfermidades são psicossomáticas e as medicinas não agressivas ganham popularidade.

A máfia médica desmoronar-se-á como um castelo de naipes quando 5% da população perder a sua confiança nela. Basta que essa percentagem da população mundial seja consciente e conectado com a sua própria divindade.

Então decidirá escapar à escravatura a que tem sido submetida pela máfia e o sistema actual derrubará. Tão simples como isto.

E em que ponto crê que estamos?
GL: Não sei quantificá-lo, mas penso que provavelmente em menos de 5 anos todo o mundo se dará conta de que quando vai ao médico vai a um especialista da enfermidade e não a um especialista da saúde.

Deixar de lado a chamada “medicina científica” e a segurança que oferece, para ir a um terapeuta é já um passo importante. Também o é perder o respeito e a obediência cega ao médico.

O grande passo é dizer não à autoridade exterior e dizer sim à nossa autoridade interior.

E o que é que nos impede de romper com a autoridade exterior?
GL: O medo. Temos medo de não chamar o médico. Mas é o medo, por si próprio, quem nos pode enfermar e matar. Nós morremos de medo.

Esquecermo-nos que a natureza humana é divina, o que quer dizer, concebida para nos comportarmos como deuses. E desde quando os deuses têm medo? Cada vez que nos comportamos de maneira diferente da de um deus pomo-nos enfermos. Essa é a realidade.

E o que podem fazer os meios de comunicação para contribuir para a elevação da consciência nesta matéria?
GL: Informar sem tentar convencer. Dizer o que sabeis e deixar às pessoas fazer o que queiram com a informação. Porque intentar convencê-las será impor outra verdade e de novo estaríamos noutra guerra. Necessita-se apenas dar referencia.

Basta dizer as coisas. Logo, as pessoas as escutarão, se ressoarem nelas. E, se o seu medo for maior do que o seu amor por si mesmos, dirão: “Isso é impossível”.

Se pelo contrário têm aberto o coração, escutarão e questionarão as suas convicções. É então, nesse momento, quando quiserem saber mais, que se lhes poderá dar mais informação.

By Laura Jimeno Muñoz
Marcadores: Medicina bandida

Entrevista com Ghislaine Lanctot, autora do livro A Mafia Médica (The Medical Mafia) http://ppavesi.blogspot.com/2010/01/mafia-medica.html

terça-feira, 10 de março de 2015

Diabetes tem cura?

DIABETES TEM CURA?

Ditado popular:
"Para quem esta perdido; qualquer caminho pode ser o caminho"!




Recentemente eu fiz alguns exames, porque suspeitei que meu colesterol poderia estar elevado. Fui ao medico, e ele me passou vários exames para ser feito. Hemograma completo, Eas, Perfil lipídico, Glicemia de jejum e Ácido úrico. Eu suspeitava que o vilão fosse o colesterol; mas me enganei! O vilão era a bendita Glicemia! A glicose é fundamental para nossa vida! Mas em excesso pode matar! A minha glicose estava em 141,0mg/dl. E o valor de referencia indicava 70,0 a 99,0mg/dl. A luz vermelha acendeu no painel do meu cérebro! Você já parou para pensar o que a diabetes pode fazer na tua vida! Já pensou que tudo que você come pode te fazer mal? Só compreende os diabéticos quem tem ou teve diabetes!

A PERGUNTA É!

1º - A medicina moderna (os médicos, laboratórios alopáticos e farmacêuticos), tem a resposta para a cura de todas as doenças?

NÃO VAMOS GENERALIZAR!

Se eu disser que todo medico é igual; eu estaria sendo ingênuo! O mesmo pode ser dito sobre Religião; nem todos os religiosos são iguais! Eu não quero aqui desmerecer a classe medica ou os farmacêuticos! Na hora da emergência eu tenho sido socorrido pelos médicos, e farmacêuticos em diversas ocasiões!

Ao longo da minha humilde vida; eu cheguei a conclusão que: Religião, Política, Futebol, Medicina e Todas as profissões. Tem bons; e maus profissionais! Tem bons e maus religiosos! Tem bons e maus políticos! Tem bons e maus jogadores de futebol, e Tem também bons e maus médicos!

O bem e o mal esta em todos os tipos de classes sociais; religiosas e profissionais!

Na religião tem pessoas que estão matando espiritualmente seu semelhante para terem uma vida de luxo, riqueza e prazeres carnais aqui na terra! Estas pessoas ignoram voluntariamente (ou não), Que seus atos serão punidos por Deus, Jesus Cristo e o Espírito Santo em um futuro próximo! muitos infelizmente só se darão conta do erro praticado quando for muito tarde!

Tem pessoas que vendem literalmente a própria alma ao diabo para ficarem ricos!

A PERGUNTA AGORA É?

Sera que pode existir tratamentos alternativos ou complementares que podem reverter a doença diabetes?

Eu comecei a procurar os vários caminhos que existem na internet! O tio Google foi meu guia nesta minha jornada: “a procura da cura; ou controle da diabetes”!

Um dos sites que me chamou a atenção foi este!
http://www.saudeintegral.com/artigos/remedios-naturais-e-tratamento-natural-para-diabetes.html

Remédios naturais e tratamento natural para diabetes

Publicado em janeiro 8, 2009 em Dicas de Saúde. 271 Comentário

Tratamento diabetes A doença diabetes é provocada por mal funcionamento do pâncreas, quando não produz insulina suficiente e então, fica-se com muito açúcar no sangue (hiperglicemia), o que pode provocar uma série de distúrbios em todo o sistema, exemplo: doenças cardiovasculares, retinopatia diabética, colesterol, obesidade, etc. Geralmente começa com hipoglicemia e a pessoa pensa que está necessitando de mais açúcar no sangue, logo após, vem a hiperglicemia e a doença está instalada, podendo se apresentar em vários níveis de gravidade. Embora seja considerada uma doença crônica, o quadro pode reverter e curar pelo tratamento natural, mas é necessário que haja uma mudança alimentar severa, usar a geoterapia (veja artigo: A cura através da argila) e hidroterapia para equilibrar, fortalecer e curar o pâncreas.

Tome florais, que pode ser o de Bach, adequados para suas emoções e não esqueça de usar uma tintura de pata de vaca: 15 gotas 4 vezes ao dia. O chá desta planta não adianta muito, pois o principio só é retirado em tintura (veja artigo: Diabetes, também Naturopatia, o que é?).

Suzete é Naturopata, Iridóloga e Instrutora dos Exercícios Visuais. Autora do livro: Cuide de Seus Olhos

Contato: suzete@saudeintegral.com
Sites: www.saudeintegral.com, www.iridologiasp.com.br e www.metodobates.com.br

271 Respostas para “Remédios naturais e tratamento natural para diabetes”

Atenção: os comentários são de responsabilidade de quem os escreve e não refletem necessariamente a opinião do site. Os comentários podem ser moderados e não são necessariamente lidos.

joel vieira de souza
14 jan 2009 às 1:00 pm
gostaria de receber dicas de como controlar o diabetes, reduzir o barulho de zumbido no ouvido.

ARACI BARROS
15 jan 2009 às 12:56 pm
COMO CONTROLAR DIABETE
O QUE EU NA NÃO DEVO COMER

Nelma de Freitas Sobrinho
18 jan 2009 às 9:36 pm
Gostaria de receber informações sobre cura da psiorise

Geneci apolinario
23 jan 2009 às 8:38 am

Gostaria de saber sobre remédios naturais,e tratamentos natural para diabetes. desde já agradeço… Geneci

Amilton Coitinho
27 mai 2009 às 4:48 pm

Meu nome é Amiltom Coitinho tenho 47 anos, sou casado e resido em Arapongas Pr. Como muitas pessoas eu também sofri muito por causa da diabete, eu não sabia o que tinha até que um dia eu passei mal e fui levado já quase em coma para o hospital. Fiz muitos exames e um deles deu diabete tipo dois já num gral muito elevado, pois, eu já estava ficando sego, fiquei internado e quando recebi alta veio a decepção, o doutor me disse que eu tinha que tomar insulina pelo resto da vida. Entrei em depleção, não aceitava ser escravo de insulina, mas, tomei-a durante três longos anos, ai comecei a procurar remédios caseiro, até que me ensinaram um tal de chá de JAMELÂO, eu estava disposto a qualquer coisa pra se livrar da insulina. Mesmo sem acreditar que ia me curar eu comecem tomar o chá de JAMBOLÂO, pois, eu não tinha nada a perder. E não é que depois de três meses tomando o chá de JAMBOLÂO fui ao medico medir a diabete, e, a surpresa, a diabete tinha sumido, o medico disse que eu não era mais diabético e não precisava mais de insulina, não é incrível? E agora já faz dois anos que eu não tomo mais insulina graças a Deus e ao chá de JAMBOLÂO. É difícil acreditar, pois, eu também não acreditava, mas, estou totalmente curado e levo uma vida normal já há dois anos, e agora eu quero que outras pessoas que sofrem com esse mal também sejam curadas. Façam o chá de JAMBOLÂO mesmo que você não acredite, pois, eu também não acreditava, mas, façam você não vai perder nada, e o JAMBOLÂO pra quem não a conhece é uma arvore semelhante a um pé de jabuticaba só que maior, mas que da umas frutinhas idênticas à jabuticabeira, procure-o com pessoas do sitio eles vão te arrumar, pois, ele é muito comum nos sítios.

PEGUE DEZ FOLHAS DE JAMBOLÃO DEIXE-AS SECAR E VERVA EM DOIS LITROS DE AGUA, GUARDE NA GELADEIRA E TOME TRES COPOS DURANTE O DIA E CONTINUI COM O TRATAMENTO CONVENCIONAL, VOCE VAI VER QUE EM ALGUNS MESES ESTARA LIVRE DE APLICAR ISULINA. EU ESTOU E A MINHA DIABETE ERA A TIPO DOIS, AMILTOM COITINHO, FONE (43)-8804-2760.

Este comentário em especial me chamou atenção neste site!
Este comentário me levou a pesquisar mais sobre o Jamelão!

JAMELÃO
Origem: http://pt.wikipedia.org/wiki/Jamelão

Calyptranthes caryophyllifolia (Lam.) Willd., Calyptranthes oneillii Lundell, Eugenia cumini (L.) Druce, Eugenia caryophyllifolia Lam., Eugenia cumini (L.) Druce, Eugenia jambolana Lam., Myrtus cumini L., Syzygium jambolana (Lam.) DC., Syzygium jambolanum DC., Syzygium caryophyllifolium (Lam.) DC., Syzygium jambolanum (Lam.) DC.

O jamelão, jambo, jambolão, baguaçu, jalão1 , joão-bolão, topin, manjelão, azeitona-preta, baga-de-freira, brinco-de-viúva ou guapê (Syzygium cumini, ex-Eugenia jambolana Lam. ou Syzygium jambolanum DC.) é o fruto da planta de mesmo nome da família Myrtaceae. A espécie é nativa da Índia.

São árvores que podem chegar até dez metros de altura. Possuem frutos pequenos e arroxeados quando maduros. A coloração dos frutos provoca manchas nas mãos, tecidos, calçados e pinturas de veículos, tornando a planta pouco indicada para o preenchimento de espaços públicos.

O fruto possui uma semente única e grande, quando comparada com o tamanho do fruto, envolta por uma polpa carnosa. Apesar de sabor um pouco adstringente, é agradável ao paladar. Na Índia, além de ser consumido in natura, é usado na confecção de doces e tortas.

Na Região Nordeste do Brasil, é conhecida como "azeitona-preta". Nessa região, a planta adaptou-se tão bem que se tornou espécie subespontânea, sendo chamada de "brinco-de-viúva". Também é comum no litoral paranaense, onde recebe o nome de "guapê".

Apesar de as árvores desta espécie serem abundantemente usadas em arborização urbana, os jamelões são pouco comercializados, em decorrência de sua alta perecibilidade. Os jamelões costumam deixar as calçadas manchadas de roxo devido à queda dos frutos maduros.

Eu continuei as minhas pesquisas porque queria mais informações sobre o Jamelão; e como sempre tenho visto; existem pessoas que são contras o uso de plantas para cura de doenças! A vida tem sempre os contras! Pessoas que procuram desfazer do poder de cura das plantas medicinais!

Eu sei do poder das plantas medicinais, e sei por experiência pessoal; e jamais subestimei o poder de cura das plantas medicinais!

CONTINUANDO MINHA PESQUISA.

EMBRAPA - Clima temperado
Artigo de Divulgação na Mídia

Jambolão: o poderoso antioxidante*
http://ainfo.cnptia.embrapa.br/digital/bitstream/CPACT-2010/12299/1/jambolao-Marcia.pdf

Márcia Vizzotto Pesquisadora da Embrapa Clima Temperado
Mariana da Rosa Fetter bolsista

O jambolão ( Syzygium cumini ) é uma planta pertencente à família Mirtaceae. É conhecido popularmente como jamelão, cereja, jalão, kambol, jambú, azeitona-do-nordeste, ameixa roxa, murta, baga de freira, guapê, jambuí, azeitona-da-terra, entre outros nomes. Sua árvore é de grande porte e muito bem adaptada às condições brasileiras, apesar de ser originária da Indonésia, China e Antilhas, é também cultivada em vários países, pois cresce muito bem em diferentes tipos de solo.

A frutificação ocorre de janeiro a maio e os frutos são do tipo baga, assemelhando-se bastante às azeitonas. Sua coloração, inicialmente branca, torna-se vermelha e posteriormente preta, quando maduras. Sua semente fica envolvida por uma polpa carnosa e comestível, doce, mas adstringente, sendo agradável ao paladar. No Brasil, o fruto é geralmente consumido in natura, porém esta fruta pode ser processada na forma de compotas, licores, vinhos, vinagre, geleias, geleiadas, tortas, doces, entre outras.

O fruto do jambolão apresenta em torno de 88% de água, 0,34% de cinzas, 0,30% de lipídeos, 0,67% proteínas, 5,91% de acidez (ácido cítrico), 10,7% de carboidratos totais, 1% de açúcares redutores, 0,28% de fibra alimentar, 9,0ºBrix e pH de 3,9. O principal mineral encontrado nesta fruta é o fósforo e a vitamina em maior abundância é a vitamina C.

No jambolão são encontradas algumas substâncias químicas denominadas fitoquímicos ou compostos secundários.

Estas substâncias são produzidas naturalmente pelas plantas para se protegerem do ataque de pragas e doenças e também ajudam a suportar as condições adversas do ambiente. Muitos destes fitoquímicos atuam na prevenção e no combate de doenças crônicas como o câncer e as doenças cardiovasculares.

Exemplos de fitoquímicos encontrados nas diferentes partes da planta são flavonoides como as antocianinas, a quercetina, a rutina a mirecetina com seus glicosídeos (açúcares) e os taninos hidrolisáveis. Ainda a presença do polifenol, ácido elágico, deve ser considerada por ser uma substância comprovadamente eficaz na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis.

As diferentes partes do jambolão são citadas na literatura por possuir propriedades medicinais, sendo amplamente utilizadas na medicina popular. Inicialmente, a casca do caule do jambolão apresenta propriedades anti-inflamatória, anticarcinogênica e serve como medicamento para controle de diabetes.

Os frutos do jambolão apresentam alta atividade antioxidante e também, ação hipoglicemiante. Especial atenção deve ser dada à presença do ácido elágico que também é encontrado em outras pequenas frutas, como o mirtilo, a amora-preta e o morango. Este composto apresenta características antioxidantes e anticarcinogênicas.

Assim como as outras partes da planta do jambolão, as folhas possuem substâncias com ação antidiabética, exercendo função hipoglicemiante, mimetizando as ações da insulina, regulando os níveis glicêmicos e influenciando no metabolismo e estoque de glicogênio hepático. Os estudos com as folhas do jambolão ainda se mostram bastante contraditórios e esta *Publicado em: site Cultivar, em 26/5/2009.

Discordância entre autores pode estar relacionada à influência dos fatores climáticos na síntese dos compostos bioativos encontrados. O extrato das folhas do jambolão, ainda apresenta ação antiviral, anticarcinogênica, anti-inflamatória, antibacteriana e antialérgica. Estudos mostram que o extrato das sementes de jambolão reduz danos no tecido cerebral de ratos diabéticos, além de apresentar atividade antifúngica e antibacteriana.

Os estudos realizados ao redor do mundo vêm demonstrando que o consumo de frutas e hortaliças está relacionado à prevenção das doenças crônicas não transmissíveis, provavelmente, devido ao aumento no consumo de compostos antioxidantes. Nosso corpo esta exposto diariamente a diversos carcinogênicos que podem levar à ocorrência de mutações no DNA das células e posterior formação de câncer.

Os compostos antioxidantes encontrados em algumas frutas e hortaliças ajudam as células do organismo a se protegerem das mutações. O jambolão apresenta uma alta atividade antioxidante, superior até mesmo ao mirtilo e à amora-preta, que são frutas bastante estudadas e mais conhecidas dos consumidores. Sua semente apresenta atividade antioxidante superior à polpa e à casca da fruta, podendo esta ser utilizada na formulação de extratos antioxidantes.

A Embrapa Clima Temperado (Pelotas, RS) tem buscado conhecer as frutas produzidas, comercialmente ou não, na região sul do Rio Grande do Sul. No caso do jambolão não existe produção comercial nesta região, mas esta fruta apresenta características funcionais importantes e sua produção e consumo devem ser incentivadas. As informações referentes ao plantio e manejo da planta são vagas, da mesma forma que as informações relativas ao manejo pós-colheita e processamento.

A Embrapa Clima Temperado está desenvolvendo algumas ações no sentido de caracterizar as frutas de jambolão provenientes de plantas de crescimento espontâneo na região. O que se espera é caracterizar as frutas buscando alternativas de uso e geração de renda, principalmente, para pequenas propriedades rurais. O jambolão pode ser considerado uma fruta funcional pela alta atividade antioxidante que apresenta, sendo que o seu consumo associado a uma dieta equilibrada e a prática de exercícios físicos, pode prevenir algumas doenças crônicas não transmissíveis.

*Publicado em: site Cultivar, em 26/5/2009.

UM LEMBRETE IMPORTANTE!

Eu não sou medico; e por isto recomendo que consulte um especialista que trabalhe com ervas e plantas medicinais (Naturopata ou Fitoterapeuta)!

A minha intenção aqui é mostrar que existe TERAPIAS alternativas e naturais! E que muitas pessoas tem obtido bons resultados com o uso de plantas medicinais! E que, o uso de plantas medicinais é reconhecido ate mesmo pela anvisa!

Se você for um bom observador verá que uma planta pode ser indicada para varias doenças! E verá que o uso pode variar de partes da planta usada (raiz, casca, entrecasca, folhas, e frutos). Algumas preparações podem ser por: infusão, decocção, chá, tinturas ou pós (encapsulados).

ACOMPANHE O MEU RACIOCÍNIO!

Lendo atentamente o que diz o sr. AMILTOM COITINHO.

PEGUE DEZ FOLHAS DE JAMELÃO DEIXE-AS SECAR E FERVA EM DOIS LITROS DE ÁGUA, GUARDE NA GELADEIRA E TOME TRÊS COPOS DURANTE O DIA E CONTINUE COM O TRATAMENTO CONVENCIONAL, VOCÊ VAI VER QUE EM ALGUNS MESES ESTARÁ LIVRE DE APLICAR INSULINA. EU ESTOU E A MINHA DIABETE ERA A TIPO DOIS, AMILTOM COITINHO, FONE (43)-8804-2760.

1° - 10 folhas secas de jamelão da para fazer 2 litros de chá.
2º - Guarde na geladeira.
3º - Tome 3 copos ao dia.
4º - CONTINUE COM O TRATAMENTO CONVENCIONAL!
5º - No texto inicial ele mencionou 3 meses de uso, ou 90 dias.

6º - SERÁ QUE VENDEM FOLHAS DE JAMELÃO EM CÁPSULAS?

CONCLUSÃO FINAL:

Acho que ninguém gosta de levar picada a vida toda!
OU VOCÊ GOSTA?

"Se você gostou compartilhe"!


sábado, 22 de setembro de 2012

Os Atalaias de Jesus Cristo

"OS ATALAIAS DE JESUS CRISTO! 

 

Jeremias c.1

4 - Assim veio a mim a palavra do Senhor, dizendo:

5 - Antes que te formasse no ventre te conheci, e antes que saísses da madre, te santifiquei; às Nações te dei por profeta.

6 - Então disse eu: Ah, Senhor Deus! Eis que não sei falar; porque ainda sou um menino.

7 - Mas o Senhor me disse: Não digas: Eu sou um menino; porque a todos a quem eu te enviar, irás; e tudo quanto te mandar, falarás.

8 - Não temas diante deles; porque estou contigo para te livrar, diz o Senhor.

9 - E estendeu o Senhor a sua mão, e tocou-me na boca; e disse-me o Senhor: Eis que ponho as minhas palavras na tua boca;

10 - Olha, ponho-te neste dia sobre as nações, e sobre os reinos, para arrancares, e para derrubares, e para destruíres, e para arruinares; e também para edificares e para plantares.

Ezequiel c.3

17 - Filho do homem: Eu te dei por Atalaia sobre a casa de Israel; e tu da minha boca ouvirás a palavra e avisá-los-ás da minha parte.

Ezequiel c.33

6 - Mas, se quando o Atalaia vir que vem a Espada, e não Tocar a Trombeta, e não for avisado o povo, e a espada vier, e levar Uma Vida dentre eles, este tal foi levado na sua iniqüidade, porém o seu sangue requererei da Mão do Atalaia.

7 - A ti, pois, ó filho do homem, te Constitui por Atalaia sobre a casa de Israel; tu, pois, ouvirás a palavra da minha boca, e lha anunciarás da minha parte.

Jeremias c.6

17 - Também pus Atalaias sobre vós, dizendo: Estai atentos ao Som da Trombeta; 
mas dizem: Não Escutaremos.

Efésios c.5

5 - Porque bem sabeis isto: que nenhum fornicador, ou impuro, ou avarento, o qual é idólatra, tem herança no Reino de Cristo e de Deus.

6 - Ninguém vos engane com palavras vãs; porque por essas coisas vem a ira de Deus sobre os filhos da desobediência.

7 - Portanto, não sejais seus companheiros.

8 - Porque, noutro tempo, éreis trevas, mas, agora, sois luz no Senhor; andai como filhos da luz.

9 - (porque o fruto do Espírito está em toda bondade, justiça, e verdade).


AVELOZ NA CURA DO CANCER

A ORIGEM DA MAÇONARIA